A preocupação com o atraso no processo de educação dos pequenos brasileiros tem sido a pauta dos últimos dias, e o ministro da Educação, Milton Ribeiro, afirmou que o Brasil não pode continuar com as escolas fechadas e que o retorno das aulas presenciais é uma "necessidade urgente". A declaração foi feita durante pronunciamento em rede nacional de rádio e televisão. "O Brasil não pode continuar com as escolas fechadas, gerando impactos negativos nesta e nas futuras gerações. Não devemos privar nossos filhos do aprendizado necessário para a formação acadêmica e profissional deles", disse o ministro. Ele também destacou as consequências geradas pela pandemia de Covid-19 na educação e as classificou como "devastadoras".

De acordo com o ministro, se o MEC pudesse determinar o retorno das aulas presenciais, ele já teria feito; mas destacou que a decisão de fechamento das escolas ficou com os estados e municípios. Enquanto isso, a Prefeitura de São Paulo anunciou - também na terça-feira (20) - que escolas poderão receber até 100% dos alunos matriculados a partir do dia 2 de agosto. Para alcançar a exigência mínima de distanciamento de um metro, as unidades de ensino poderão subdividir turmas em salas diferentes, mesmo em turnos diferentes.