No universo econômico, o mundo inteiro fala dos sinais de que podemos estar entrando em um novo superciclo de commodities, mais ou menos como o que aconteceu historicamente nos anos de forte crescimento e preços recordes vistos na década de 2000.

O QUE SÃO COMMODITIES? As commodities são os produtos básicos negociados em bolsas internacionais, como petróleo, metais, grãos e carnes. Puxadas pelo susto de uma recuperação rápida pós-pandemia em algumas das principais economias do mundo, como a China e os Estados Unidos, muitas delas estão batendo suas maiores cotações em anos. Como muitos desses produtos sustentam as principais exportações do Brasil – minério de ferro, soja, carnes e celulose são alguns do topo da lista –, preços de commodities mais altos são sempre boa notícia para a economia doméstica.

Abaixo apresentamos aquelas que julgamos ser as principais commodities brasileiras do momento.

GRAFENO - as duas primeiras plantas industriais brasileiras de grafeno entraram em escala produtiva e trabalham para conquistar os primeiros clientes. O grafeno é um nanomaterial composto de átomos de carbono que possui propriedades como alta condutividade térmica e elétrica, flexibilidade e elevada resistência mecânica. O Grafeno não é mais considerado uma simples commoditie, mas um recurso tecnológico nacional.

NIÓBIO - cujo nome faz alusão à deusa da mitologia grega que se tornou símbolo do trágico luto materno — é usado para produzir um aço mais forte e leve para tubulações industriais e peças de aeronaves. Ele é explorado em apenas três lugares na Terra – o Brasil é um deles – e o preço de cada quilo é sete vezes maior que o do cobre.