O presidente Jair Bolsonaro garantiu que deverá vetar o aumento no fundo eleitoral de R$ 5,7 bilhões aprovado, na quinta-feira (15), pelo Congresso na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2022.  “Posso adiantar para você que não será sancionada”, disse o presidente em entrevista exclusiva para a Rádio Nacional da Amazônia, que teve trechos exibidos no programa A Voz do Brasil na última segunda-feira (19). “A tendência nossa é não sancionar isso daí em respeito aos trabalhadores, ao contribuinte brasileiro”, disse o presidente. Segundo o presidente, o dinheiro pode ser mais bem empregado na construção de pontes e construção de malha rodoviária, por exemplo.

NOSSA OPINIÃO - O congresso usou a malandragem para fazer uma caríssima pegadinha com o presidente (R$5,7 bi.), pois a oposição também votou favorável ao novo valor do fundo eleitoral. Se a intenção era deixar o presidente em uma saia justa e gerar desgaste ao governo, o tiro saiu pela culatra! Mas como a possibilidade do veto presidencial é real, o presidente fará com que o congresso tenha a última palavra sobre a derrubada ou não do veto presidencial. O congresso acabou escorregando na casca da banana que comeu.