Diante das possíveis irregularidades no contrato com a Covaxin, o governo brasileiro considera o cancelamento do mesmo, este, tendo como intermediária a Precisa Medicamentos. O contrato é alvo da CPI da Pandemia, pois foi o mais caro e o que mais rápido foi fechado pelo governo brasileiro. O valor do contrato é de R$ 1,6 bilhão para uma oferta de 20 milhões de doses. As vacinas nunca foram entregues e os recursos também não foram pagos.

As investigações avançam e envolvem a compra da vacina, o governo já trabalha em direção ao cancelamento do contrato realizado com a Precisa Medicamentos, representante no Brasil da Bharat Biotec, empresa responsável pela Covaxin. Os caminhos estão sendo avaliados. Além do cancelamento do acordo feito com a Precisa Medicamentos no valor de R$ 1,6 bilhão, há uma opção de não assinar o termo de compromisso com a Anvisa com 21 condicionantes que a agência colocava para que a importação fosse feita.

E O DEPUTADO LUÍS MIRANDA? Luís Miranda (DEM-DF) afirmou à rede de notícias CNN ter levado ao presidente Jair Bolsonaro "provas contundentes" de irregularidades na compra da vacina Covaxin. "O presidente sabia que tinha crime naquilo", disse o deputado. Miranda é irmão de um servidor do Ministério da Saúde que, segundo ele, teve o conhecimento dos problemas. De acordo com o parlamentar, após o encontro, Bolsonaro ficou "convencido" e se comprometeu a acionar "imediatamente" a Polícia Federal.

Diante do ocorrido o presidente Jair Bolsonaro determinou a abertura, pela Polícia Federal, de uma investigação para apurar as declarações do deputado Luis Miranda (DEM-DF), que afirmou ter alertado o governo federal a respeito de irregularidades e pressões supostamente indevidas envolvendo a vacina Covaxin. O ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, por sua vez, afirmou que o governo vai instaurar um procedimento administrativo disciplinar e propor à PGR que o parlamentar e o irmão sejam investigados por adulterar documentos.

TENTANDO APARECER... O Deputado Luís Miranda se elegeu por conta da fama de fazer muito “barulho” desde os tempos em que morava nos Estado Unidos. A especialidade de Luiz Miranda sempre foi ladrar lá fora! Já eleito, no Brasil, em meio ao atual mandato e no Palácio do Planalto, Miranda andava pelos corredores demonstrando seu orgulho em ser próximo do presidente, quando na realidade fez uso desta proximidade para criar instabilidade e fazer aquilo que sempre fez em sua trajetória... Tentar se promover! 

Essa tentativa poderá custar caro ao Deputado, pois o Governo não pagou pelas vacinas e a adulteração de documentos, se comprovadas, serão as peças fundamentais para que sua casinha aqui no Brasil caia de vez. Infelizmente o presidente está cercado por pessoas que querem capitalizar com escândalos e a autopromoção. Em que mundo vive o deputado?

Créditos de imagem: Metrópoles e Tv Brasil