A CPI da Pandemia já começou mais um dia de trabalho, hoje, o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello, seguirá com seu depoimento em uma das oitivas mais esperadas pelos senadores. Pazuello foi o ministro que por mais tempo coordenou os esforços do governo federal no combate à Covid-19, entre maio de 2020 e março de 2021.

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello deverá abdicar parcialmente do direito ao silêncio que lhe foi garantido pelo STF em seu depoimento na CPI da Pandemia. A assessoria jurídica do ex-ministro afirmou que o direito ao silêncio será utilizado muito quando recomendado pelos advogados. Estes, acompanharão o depoimento presencialmente. Estão entre os advogados: Diogo Palau, advogado da União, e, do Rio, Zoser Hardman, criminalista chamado para auxiliar na aplicação da estratégia jurídica.

Apesar do ministro Ricardo Lewandowski, do STF, ter concedido o habeas corpus preventivo para que o ex-ministro Eduardo Pazuello tenha direito de ficar em silêncio na CPI da Pandemia, ele não autorizou o mesmo para a secretária de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde, Mayra Pinheiro. Ela presta depoimento no Senado na próxima quinta-feira. Ao negar o pedido, Lewandowski disse que, ao contrário de Pazuello, ela não é investigada na esfera criminal ou administrativa sobre os fatos apurados pela CPI, sendo chamada na condição de testemunha.

Fonte:CNN Brasil