Ernesto Che Guevara, o guerrilheiro e ministro da fazenda de Cuba, veio a Brasília no dia 18 de agosto de 1961 para uma visita ao presidente Jânio Quadros. O jovem deputado federal José Sarney ficou encarregado de recepcioná-lo, mas não conseguiu permanecer no local devido aos sucessivos atrasos da delegação cubana. Guevara chegou ao aeroporto com sua comitiva de 45 pessoas (20 delas eram seguranças) e hospedou-se no Brasília Palace Hotel, ocupando um andar inteiro.

No dia seguinte, o guerrilheiro foi até a Praça dos Três Poderes para saudar a bandeira e passar em revista às tropas brasileiras. Os oficiais presentes ao evento, no entanto, não quiseram se perfilar diante de um comunista. Já no Palácio do Planalto, o guerrilheiro recebeu a Grã-Cruz da Ordem Nacional do Cruzeiro do Sul, a mais alta comenda do nosso governo. A iniciativa causou muita polêmica e irritou vários setores das Forças Armadas. Alguns militares ameaçaram devolver suas próprias condecorações em protesto. Outra pessoa que ficou extremamente irritada com a presença de Che em Brasília foi o governador da Guanabara, Carlos Lacerda.

Aquela foi a última solenidade de Jânio Quadros como presidente, que renunciou dias depois. Após 1964, os militares, em um ato simbólico, retiraram a condecoração de Guevara.