Já não era suficiente roubar nosso país e falir as instituições? Tinham que de fato queimar nossa história? O incêndio no museu nacional pode ser para muitos mais uma notícia, mas para nós, que amamos a história, que somos profissionais em contar, preservar e estudar o passado, foi o maior crime que os políticos já praticaram contra o país! Uma reforma teria resolvido tudo! Um olhar para nossas raízes era preciso... O museu queimou com peças únicas! Uma múmia egípcia motivo de um documentário sobre egiptologia, pinturas, documentos históricos e a própria história entalhada nas estruturas de madeira do museu. O Brasil que está sendo desconstruído nas últimas décadas, observa o desabamento de suas estruturas e pilares. O marco da degradação da nação já nos foi oferecido! Agora, somente os livros poderão contar sobre tudo aquilo que antes podíamos ver e tocar. Parabéns ao governador do Rio, ao prefeito e aos secretários que lutaram exaustivamente para destruir nossa história.



O BRASIL PERDEU...
Acervos e pesquisas nas áreas de Botânica, Paleontologia, Antropologia, Geologia, Entomologia. O museu contava com uma das maiores bibliotecas em ciências naturais do Brasil. Quase 30 mil fósseis foram perdidos, acervo de horticulta, peças egípcias únicas no Brasil e que não existem nem mesmo no Egito. E a Luzia? Talvez para você uma desconhecida, mas a partir de um cranio, os pesquisadores puderam nos oferecer a reconstrução facial com mais de 12 mil anos do que seria um dos primeiros habitantes do Brasil. Também perdemos um importante acervo com base na cultura Indígena brasileira. Perdemos os aposentos reais, a Sala do Trono, a ilustre Biblioteca de D. Pedro II com publicações raríssimas, a ante-Sala da Imperatriz, quase todos os móveis e artefatos de D. João VI, D. Pedro I e D. Pedro II.

Perdemos nossa história...