Você certamente já fez uso de algum durante sua vida! Alguns dos primeiros apitos da história surgiram ainda no período paleolítico (Pré-História) designam-se apitos ou flautas paleolíticas ou flauta de divje babe as flautas datadas do Paleolítico Superior europeu. Começando cerca de 40.000 a.C. e indo até 35.000 a.C., as primeiras provas resultam de terem sido encontradas próximo dos Alpes Suábios, no sul da Alemanha e também no noroeste da Eslovénia. Essas flautas representam os primeiros instrumentos musicais conhecidos e dão indicações valiosas da música pré-histórica. A presença dessas flautas demonstra que uma tradição musical desenvolvida terá existido desde os primórdios da presença humana moderna na Europa.

Já o primeiro apito registrado e patenteado pelo homem, pertence ao período contemporâneo e foi inventado pelo inglês Joseph Hudson. Com sua fábrica de apitos em Birmingham, Inglaterra, fundada em 1870. Foi por volta de 1878, que os apitos fabricados por Hudson começaram a substituir os lenços e bastões que eram utilizados por árbitros de futebol nos primórdios da Premier Ligue.

Em 1883, o Ministro do Interior convocou uma concorrência de empresas para pudessem apresentar alguma ideia capaz de substituir o chocalho de mão que a Polícia Metropolitana de Londres da época utilizava e tanto confiava. Joseph Hudson, baseando-se em um novo silvo observado a partir de um som que ouvira quando da queda de um violino. Hudson fez um novo projeto focado no som que ouvira e o apresentou ao ministro do interior. Hudson foi escolhido e fechou um contrato para fornecer mais de 7.000 apitos para a polícia de Londres. Durante os testes o som do apito foi ouvido a mais de um quilômetro de distância.


Em 1884, a empresa continuou sua revolução no mundo dos apitos, inventando um novo e mais confiável apito que poderia ser utilizado em qualquer tipo de atividade, o Acme Thunderer, que ainda hoje é o apito mais popular do mundo e já vendeu centenas de milhões de unidade ao redor do mundo.


O QUE É UM APITO E PARA QUE SERVE?

O apito é um instrumento de sopro utilizado tanto para música, sinalização desportiva e de trânsito como também para sinalização de emergência. O som é produzido pela vibração do ar ao passar por uma aresta. Era tradicionalmente feito de madeira, mas hoje usam-se apitos feitos de metais como o bronze. Alguns apitos têm buracos nos lados que são cobertos com os dedos para produzir diferentes tons. O executante pode controlar ainda a duração e a intensidade do som.

Por seu grande volume sonoro, o apito pode ser usado em diversas outras funções de sinalização. Os guardas de trânsito podem utilizá-los para controlar o tráfego em cruzamentos. Também podem ser usados em ferrovias, navios e ambientes industriais ruidosos, como forma de sinalização de segurança a longa distância.

Em situações de emergência o apito pode ser utilizado para chamar a atenção da equipe de resgate ou do grupo de pessoas que estão na excursão. Em coletes salva-vidas de embarcações náuticas é comum ter um apito fixado em uma área do colete de fácil acesso.

Outro uso é na marcação e sinalização de faltas e erros ou para autorizar o início de jogadas em esportes de quadra ou de campo (Handebol, Voleibol, Futebol, Futsal, etc). A duração, a altura e o número de silvos indicam e sinalizam as falhas.

CURIOSIDADES...

Existem ainda apitos capazes de imitar o canto de diversos pássaros. Em geral são chamados de pios e são utilizados para atrair pássaros para observação ou em caça.

Os índios brasileiros utilizavam de apitos para a caça e até mesmo diversão.

O MITO...
Há um mito à respeito dos efeitos sonoros do apito no corpo humano, em que alegam que o mesmo pode prejudicar a audição, porém, devido à sua frequência sonora (x < 2314Hz), não pode provocar danos à audição humana. Além do fato que, mesmo produzindo sons com 150 Db, não podem deslocar vibrativamente uma quantidade significativa de ar, assim impossibilitando que danos reais possam ocorrer.