Quando eu tinha oito anos (1988), um programa da Polícia Militar Florestal de Brasília, foi instituído na Candangolândia (uma das cidades pioneiras durante a construção de Brasília) com o objetivo de dar uma atividade adequada e educativa para as crianças da comunidade. Eu particularmente frequentei o projeto até 1989, meu pai era policial militar justamente na cidade, logo depois fui para o Clube de Desbravadores, mas isso é outra história.

A Guarda Mirim Florestal da Candangolândia foi um projeto modelo e pioneiro, só existia esse batalhão florestal na região. O projeto nos oferecia educação ambiental, espaço para lazer e atividades culturais, ordem unida e disciplina comportamental baseada em conceitos militares. Foi uma época muito gostosa da infância. Caminhadas na mata do zoológico, passeios por Brasília e desfiles no dia 7 de setembro. Ainda tenho lembrança da música que era tocada para que pudéssemos entoar em nossas atividades. Talvez uma palavra ou outra não esteja no lugar certo, mas tenho certeza que 95% da letra está correta.

VIVA O CERRADIM
(A autoria da Letra e música são desconhecidas)

Abra o seu coração
Aos bichos as plantas ao ar
A agua que brota do chão
Que faz todo mundo crescer
Crianças, adultos de todo cerrado
Fazendo daqui o nosso lugar...

Um pé de pequi, Ipê amarelo
Cuidar do cerrado é tudo que eu quero
Cuidar, reciclar riqueza sem fim
Vira, virou viva o cerradim.

A mascote era um garotinho com forma alusiva a flor do cerrado (Espécie Endêmica do cerrado Brasileiro). Infelizmente não possuo fotos da época por conta das condições financeiras e da dificuldade em registrar estes momentos. Lembrar de histórias tão antigas é cada vez mais complicado, mas este relato precisa ser postado para que seja uma fonte de consulta sobre a infância no Distrito Federal, guardada a época relacionada.

Infelizmente nossas crianças não possuem mais o incentivo de atividades como essas. A falta destas atividades, faz com que as crianças fiquem vulneráveis ao aliciamento do crime e de outras atividades ilícitas e práticas imorais que infelizmente tem tomado conta de nossa sociedade.