A história vai muito além dos séculos passados, também contamos o desenrolar dos fatos modernos. Muitos destes acontecimentos e fatos estão acontecendo neste exato momento e possui relação com algumas coisas que utilizamos em nosso dia a dia. Você já deve ter ouvido falar na Deep Web e provavelmente está se perguntando o que a cebola na imagem tem a ver com ela e com tudo que falei até agora! A maioria dos usuários da web não sabem muita coisa sobre a Deep Web, mas o pouco que é divulgado mostra que ela é bem ruim, ou você duvida?
Ela é apenas a ponta de um enorme iceberg virtual ao qual você nem imagina que poderia existir. Não é como a internet comum (surface web) que acessamos em nossos computadores e smartphones. Ela possui uma tremenda má fama e essa parte profunda da internet dependendo das suas reais intenções em acessá-la pode ser danosa para você, sua família ou para os seus dispositivos eletrônicos. O mais óbvio de tudo, é lá que as pessoas compartilham o pior dos conteúdos existentes, devido a possibilidade de mantê-lo em sigilo e com certa dificuldade de acesso, mas cabe aos usuários decidirem se devem abri-los ou não, certo? Então vamos abordar alguns pontos da Deep Web.

COMO SURGIU E COMO FUNCIONA A DEEP WEB?
Ela foi desenvolvida para auxiliar as forças militares dos Estados Unidos da América. Foi por muito tempo uma espécie de laboratório de pesquisas da marinha americana, que desenvolveu o ambiente “The Onion Routing” para realizar pesquisas, design de artefatos militares e analisar sistemas de comunicações anônimos.

Lembra da cebola lá da imagem que ilustra nossa postagem? Para que você entenda melhor, “onion”, em inglês, quer dizer “cebola” e a cebola tem tudo a ver com este projeto militar. Isso porque, para usar a rede, às vezes, é preciso atravessar várias camadas até chegar ao conteúdo desejado na Deep Web, assim como as camadas que encontramos na cebola. Um tempo depois o The Onion Routing, já em uma segunda versão, acabou sendo liberado para o uso de pessoas comuns, o ambiente logo foi rebatizado passando a ser chamado de TOR. Desde então, ele é constantemente aprimorado em sua estrutura, não confunda com designe. O designe por lá é o que menos importa aos usuários e desenvolvedores de conteúdo.

Quando você acessa um site por meio da Deep Web, seu endereço de IP não é identificado, pois uma rede anônima de computadores entra em cena e faz pontes criptografadas até o endereço que você deseja acessar (como as camadas da cebola). Por lá o dono de uma página, não utiliza serviços de hospedagens convencionais. Eles fazem uso de armazenamento invisível a fim de não serem identificados.

Para acessar a Deep Web, você precisa saber que todo cuidado é pouco em um ambiente como este. Ao contrário da web convencional que acessamos, o design não é importante, dificultando o acesso se você não entender bem o inglês. A navegação é lenta propositalmente, já que o objetivo e preocupação de muitos por lá, é manter os conteúdos seguros de possíveis curiosos.

Os sites e endereços da Deep Web não são como os que somos acostumados. Eles possuem endereços diferentes, complicados e muitas vezes são alterados para proteger as informações que estão por lá. Se você digitar um endereço da Deep Web em seu navegador convencional, você não conseguirá acessar este site.  

A DEEP WEB É BOA OU RUIM?
Em si, embora não seja um ambiente convidativo e atraente como a web que conhecemos, ela está longe de ser ruim. Devemos partir do princípio que o nesse ambiente o que vale são as nossas intenções como usuários.

Na Deep Web, você pode fazer download de séries, filmes, livros, manuais e muitos outros conteúdos e informações raras de serem encontradas na cada dia mais limitada web tradicional. Mas também existe o outro lado da moeda, como a pornografia em seus vários gêneros e muitas outras práticas que podem ser nocivas e agressivas. No fim das contas quem escolhe o que vai ser acessado e sua finalidade é o usuário.

EXISTE O RISCO DE VÍRUS?
O risco de vírus para o seu sistema é real e existem vírus pesados neste ambiente, tão pesados quanto aqueles que existem na internet convencional. Mas se você tem boas intensões certamente estará menos exposto aos vírus da Deep Web. Novamente, quem define a utilização dessa camada do mundo virtual é o usuário.

Se você pensa em acessar a Deep Web para procurar conteúdos impróprios e indisponíveis na web convencional, saiba que o criador ou mantenedor deste conteúdo tentará manter em sigilo e segurança seus arquivos, ao tentar você estará exposto as várias possibilidades de ser infectado por um vírus muito poderoso. Lembre-se, um hacker sempre deixará um vírus para tentar proteger um conteúdo importante, assim como protegemos nossas casas com câmeras e alarmes.

VOCÊ VAI APRENDER A NAVEGAR NA DEEP WEB?
Aqui não, não vamos ensinar ou dar dicas. Nossa missão é contar a história deste lado um pouco sombrio da web. Você não ganhará nada além de uma dor de cabeça com vários vírus se sua intenção for a busca por conteúdos inapropriados. A decisão sempre será sua, um mergulho ainda mais profundo poderá levá-lo ao ambiente da Dark Web, mas isso é assunto para uma futura postagem. Por hora, nossa história foi contada, aqui você aprendeu um pouco mais sobre o lado oculto da web mundial.