Que o nosso país é diverso, todos nós sabemos! Mas em uma época onde ser diferente era quase que uma afronta, este brasileiro chamado Cândido da Fonseca Galvão, também conhecido como Dom Obá II D'África foi um fidalgo e militar brasileiro. Filho de africanos forros, seu pai, Bemvindo da Fonseca Galvão, era filho do obá (rei) Abiodun, governante do Império de Oyo. Ele quebrou algumas barreiras em seu tempo...

Alistou-se voluntariamente para lutar na Guerra do Paraguai e, devido à grande bravura que demonstrou, foi condecorado como oficial honorário do Exército brasileiro. Depois da Guerra, fixou-se no Rio de Janeiro, tornando-se uma figura muito conhecida da sociedade carioca. Foi amigo pessoal do Imperador D. Pedro II. Entre os negros e mulatos do Rio de Janeiro, era reverenciado especialmente por sua representatividade, como neto do obá Abiodun.


Dom Obá tinha o hábito de anualmente realizar uma visita oficial ao Paço, onde era recebido como herdeiro de seu avô. Foi defensor da monarquia brasileira, atuou na campanha abolicionista e no combate ao racismo. Com a queda do Império, em 1889, foi perseguido pelos republicanos, que cassaram seu posto de alferes o deixando na miséria. Morreu logo depois, em julho de 1890. E nunca teve seu nome reconhecido com a devida honra nas páginas da história brasileira.